Reencontro - saudades de você - oficial

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Mula que fala?







Balaão é um dentre alguns profetas não-judaicos que pronunciaram profecias a respeito dos israelitas. Balaque escolheu Balaão para pronunciar uma maldição sobre a nação judaica. Mas Deus só lhe permitiu pronunciar bênçãos. A caminho da casa de Balaque, um anjo permitiu que a mula de Balaão falasse em oposição ao cruel tratamento que estava recebendo.


Três vezes a mula tentou se desviar do anjo que estava bloqueando a estrada, e três vezes Balaão a surrou. Quando a mula falou com Balaão, ela revelou o verdadeiro coração dele. Essa era a mesma mula que ele sempre usava em suas viagens, contudo Balaão a amaldiçoou. Balaão perdeu a confiança em sua mula assim como perdeu a confiança em Deus. O mesmo Deus que disse a Balaão, na primeira vez, que não fosse até Balaque, é o mesmo Deus no qual Balaão perdeu a confiança e depois fez sua própria vontade.


Só duas vezes na Bíblia lemos sobre animais que falaram. O primeiro animal se encontra em Gênesis 3, onde uma serpente falante enganou a Eva. Apocalipse 12:9 confirma que a serpente era o próprio Satanás. Nesse relato, Satanás fala através do animal a fim de tentar Eva, pervertendo as palavras de Deus. A segunda vez que lemos sobre um animal falante é em Números 22, onde encontramos o relato de Balaão e sua mula.


Há uma grande ironia nessas duas ocorrências, pois em ambas as ocasiões há grande oposição a Deus e a Suas instruções específicas. A serpente em Gênesis é Satanás enganando Eva. Em Números 22:22 o anjo é enviado como um adversário de Balaão. A palavra hebraica para adversário é satan. Essa palavra é usada em Números 22:22  Acendeu-se a ira de Deus, porque ele se foi; e o Anjo do SENHOR pôs-se-lhe no caminho por adversário. Ora, Balaão ia caminhando, montado na sua jumenta, e dois de seus servos, com ele.


Apocalipse 12:9.  -  E foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, que se chama diabo e Satanás, o sedutor de todo o mundo, sim, foi atirado para a terra, e, com ele, os seus anjos


No caso de Balaão, contudo, não era Satanás que estava parado no caminho. Era o anjo do Senhor. Deus não estava usando o anjo para bloquear Balaão, porque ele estava determinado a seguir sua própria vontade em vez da vontade de Deus. Balaão é que era o adversário do plano de Deus de abençoar os israelitas.


Pouco tempo depois desse incidente, Balaão pronunciou três bênçãos sobre a nação israelita. As referências bíblicas sobre Balaão não contam uma bonita história sobre ele. Leia:


2 Pedro 2:14-16 tendo os olhos cheios de adultério e insaciáveis no pecado, engodando almas inconstantes, tendo coração exercitado na avareza, filhos malditos; abandonando o reto caminho, se extraviaram, seguindo pelo caminho de Balaão, filho de Beor, que amou o prêmio da injustiça (recebeu, porém, castigo da sua transgressão, a saber, um mudo animal de carga, falando com voz humana, refreou a insensatez do profeta)


Apocalipse 2:12-14 Tenho, todavia, contra ti algumas coisas, pois quetens aí os que sustentam a doutrina de Balaão, o qual ensinava a Balaque a armar ciladas diante dos filhos de Israel para comerem coisas sacrificadas aos ídolos e praticarem a prostituição. 


Ele sempre será lembrado como alguém que faria qualquer coisa por dinheiro.


Mãos à Bíblia
Quem foi Balaão? “Balaão já havia sido um bom homem e profeta de Deus; mas apostatara e se entregara à cobiça; todavia professava ainda ser servo do Altíssimo. Não ignorava a obra de Deus em favor de Israel; e quando os enviados comunicaram sua mensagem, bem sabia que era seu dever recusar as recompensas de Balaque e despedir os embaixadores. Mas se arriscou a contemporizar com a tentação” (Ellen G. White, Patriarcas e Profetas, p. 439).


3. Aparentemente, Balaão estava se mantendo firme ao lado do Senhor. Porém, se lermos cuidadosamente, que sugestões podem indicar que ele estava brincando com a tentação? 


Nm 22:7-21  -  Então, foram-se os anciãos dos moabitas e os anciãos dos midianitas, levando consigo o preço dos encantamentos; e chegaram a Balaão e lhe referiram as palavras de Balaque. Balaão lhes disse: Ficai aqui esta noite, e vos trarei a resposta, como o SENHOR me falar; então, os príncipes dos moabitas ficaram com Balaão. Veio Deus a Balaão e disse: Quem são estes homens contigo? Respondeu Balaão a Deus: Balaque, rei dos moabitas, filho de Zipor, os enviou para que me dissessem: Eis que o povo que saiu do Egito cobre a face da terra; vem, agora, amaldiçoa-mo; talvez eu possa combatê-lo e lançá-lo fora. Então, disse Deus a Balaão: Não irás com eles, nem amaldiçoarás o povo; porque é povo abençoado. Levantou-se Balaão pela manhã e disse aos príncipes de Balaque: Tornai à vossa terra, porque o SENHOR recusa deixar-me ir convosco. Tendo-se levantado os príncipes dos moabitas, foram a Balaque e disseram: Balaão recusou vir conosco. De novo, enviou Balaque príncipes, em maior número e mais honrados do que os primeiros, os quais chegaram a Balaão e lhe disseram: Assim diz Balaque, filho de Zipor: Peço-te não te demores em vir a mim, porque grandemente te honrarei e farei tudo o que me disseres; vem, pois, rogo-te, amaldiçoa-me este povo. Respondeu Balaão aos oficiais de Balaque: Ainda que Balaque me desse a sua casa cheia de prata e de ouro, eu não poderia traspassar o mandado do SENHOR, meu Deus, para fazer coisa pequena ou grande; agora, pois, rogo-vos que também aqui fiqueis esta noite, para que eu saiba o que mais o SENHOR me dirá. Veio, pois, o SENHOR a Balaão, de noite, e disse-lhe: Se aqueles homens vieram chamar-te, levanta-te, vai com eles; todavia, farás somente o que eu te disser. Então, Balaão levantou-se pela manhã, albardou a sua jumenta e partiu com os príncipes de Moabe.




Jenni Glass Overland Park, EUA




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário